Sunday, September 11, 2005

Cae Água

Cae Água

Ergui a casa contra o pó das orelhas na pulsão
do meio interior, a música transparente
do tronco da ternura fresca.

trabalho o sonho de um cavalo pintado
em S.Pedro do Estoril na anusia da
metamorfose pulsional onde evoca
a doçura da voz apriórica.

José Gil

0 Comments:

Post a Comment

<< Home