Monday, September 12, 2005

A RAIZ

A RAIZ

ergueu-se a raíz
limpida e núa
a única possível
para a clara a alma
justa e transparente

raiz quente da terra
sem névoa no dia dos
abraços nos
braços do saxofone
da alma certa
sem pendulo nem
relógio. apenas
a música no centro
da vila e um berço
re-encontrado.

do mosteiro falará
a verde memória do
futuro,um anjo azul

o do dia de pedra no lugar
de pedra do adro da Igreja

e as pessoas quentes
no silêncio do acaso

uma varanda,uma mulher
a descrição das outras
manhãs longe do mar
na floresta profunda
dos sentimentos.

com a alma na mão
abrem-se os caminhos
a música constroi
um novo encontro
com o sol

jose gil

0 Comments:

Post a Comment

<< Home