Sunday, September 11, 2005

rua das pedras

VIAGENS XXII - rua das pedras

Retrato de Salvador
Kittuit

“apressa-te lentamente”
Augustus, imperador romano

O folião é o sol a pino, passam verdes os ventos
onde ogan avança com a candura de um amor feliz,
na malha metálica em escamas preso aos quadris
em frevo no terreiro Oxum, Orixá o feminino das
fontes e dos rios por dentro do nosso oceanário.

As magnólias tocam o meu odor de pele lisa.

Vestido de abada oficial todo o ano para esbardar-se
nos trios eléctricos a comer acarajá de feijão frade
frito em dendé, um rectângulo de camarão e vadá

A viagem começa numa onda de batidas em
caixas de som e luz na fresca água da chuva e das
nascentes entre os pipocas e os cordeiros no eclipse
anelar do sol, sinto-me lansã, chega-se na encarnação
no bosque de tempestade, dos raios e dos ventos
na ausência das gaivotas

Avanço voluptuosamente e deslizo cruzando a água
de suor na praça da hortelã nas orelhas cantando
“Chuva, suor e cerveja” nos seus olhos cor de mel
lançando os búzios no seu colo conservando
o futuro dos oceanos como a dor dos solos secos.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home